Governo não pode credenciar companhias para compra de passagens aéreas sem licitação


No último dia 22 de janeiro, o STJ - Superior Tribunal de Justiça divulgou uma decisão ratificando por meio de liminar que a administração pública federal continua impedida de efetuar a compra de passagens diretamente de companhias aéreas, sem licitação.

O procedimento, previsto pelo MPOG - Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, foi suspenso pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que entendeu serem ilegais os termos do Edital de Credenciamento 01/2014, publicado para instituir a compra direta e, também, os atos administrativos decorrentes, inclusive a celebração de termos ou ajustes contratuais com as companhias aéreas com a dispensa de licitação em situação não prevista em lei.

Marcelo Oliveira, consultor jurídico da ABAV Nacional - Associação Brasileira de Agências de Viagens, declarou que “o processo continuará em seu trâmite normal, aguardando a decisão final que poderá confirmar ou não a liminar já concedida. Até lá, o Executivo deverá obedecer à ordem estabelecida pelo STJ”.


Desde julho de 2014, sob a liderança do presidente Antonio Azevedo, a ABAV Nacional luta pela revogação da medida, tendo protagonizado uma série de ações contra o programa de compras centralizadas do governo para a aquisição de passagens aéreas, sem intermediação de agências de viagens. 

O engajamento da entidade, que participou de audiências públicas e vários encontros com autoridades em Brasília, contribui com a articulação de outras iniciativas de apoio que, de maneira coordenada, reiteram que a medida agora suspensa afronta a Constituição Federal, a Lei Geral do Turismo e a Lei que regulamenta a atividade das agências.
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More