Seja um especialista em resolver problemas!


Em meio a crise do poder judiciário, acreditamos em um advocacia que pode se valer do esgotamento dos meios extrajudiciais no atendimento ao cliente.


Hoje em dia está impregnado na população que o judiciário não funciona. E é verdade. Claro que não perdeu a essência de dirimir conflitos, mas, em regra, a solução só depois de um desgaste tremendo das partes envolvidas.
A lentidão do judiciário é um fato que já foi debatido exaustivamente e, mesmo com várias soluções apresentadas e executadas, não há nenhuma melhora significativa no dia a dia da justiça.
Por isso, no Eugenio Nunes Advocacia, estamos criando uma cultura que somos advogados "resolvedores" de problemas. Em meio a crise do poder judiciário, acreditamos em um advocacia que pode se valer do esgotamento dos meios extrajudiciais no atendimento ao cliente.
Enquanto uns choram outros vendem lenços, certo?: D
 
Seja um especialista em resolver problemas
Um bom advogado mostra todos os caminhos possíveis.
Quando mostramos um caminho fácil e eficiente, ganhamos um cliente satisfeito e um bom marketing corporativo.
Mas como ser um especialista em resolver problemas?
Siga esses 4 passo importantes:

1. Conheça os trâmites extrajudiciais da sua área de atuação

É previdenciarista? Estude como funciona o INSS e todos os serviços possíveis.
É Consumerista? Veja todos os meios administrativos com as empresas e via PROCON.
Conheça todos os meios que podem ajudar o cliente a resolver o problema de forma rápido e eficiente. Por isso, COBRE CONSULTA, advogado! A cobrança não pode estar restrita apenas a judicialização dos atos. O dispêndio de estudo e tempo devem ser remunerados, pois é nosso conhecimento que está sendo colocado em prática.
O estudo te fez um advogado excelente. Nunca esqueça disso! Diga isso ao cliente e coloque em prática.
Eu tenho uma queda por Direito Previdenciário, então segue esse presente para ajudar no estudo:

2. Identifique o problema

Descubra o que realmente está acontecendo.
É possível essa identificação ao ouvir o que o cliente precisa e observando por diversos ângulos a origem da problemática.
Diante de uma situação-problema, questione:
Qual é o problema?
Há uma solução extrajudicial? Qual?
Quanto tempo levará para resolver essa questão?
Se não houver uma solução extrajudicial, como posso facilitar a questão antes de provocar a justiça?

3. Tenha um local no seu escritório para promover acordos

Pode ser sua própria sala, claro, mas vale o investimento um local diferenciado. Quando se cria esse marketing de resolver problemas, esse espaço é essencial para promover acordos e reuniões privadas. Esse ambiente extra é super importante para advogados que estão buscando esse nicho de mercado.
Não é preciso ser uma suuuuper sala, art decor, chocolate belga servido com licor português... Okay?
Somos advogados iniciantes e por isso somos humildes rs
Falando sério, estou colocando em prática essa dica e concluindo minha sala de conciliação e reunião privadas no ENA.
O escritório é grande e tinha uma recepção que estava basicamente sem uso, pois, com algumas exceções, nossos atendimentos são agendados.
Então usei algumas dicas espertas para reduzir os custos de uma reforma para o advogado iniciante (Depois vai sair post sobre isso, aguardem).

4. Redobre a atenção em atendimentos extrajudiciais

Trate o cliente como ele realmente é: um cliente.
Não é um favor. Você está oferecendo um serviço.
Ao resolver problemas sem judicialização, basicamente vai depender apenas do advogado para chegar a um solução. Então, explique todos os atos com muita paciência e diligência, bem como informe ao cliente de todas as etapas que estão sendo cumpridas.
É importante também acompanha-lo, mesmo que ele possa resolver sozinho. Imagina a segurança que ele vai sentir por estar acompanhado de um Doutor Advogado?
Esse acompanhamento também já coloca em prática um dos primeiros direcionamentos dados aqui no blog: Se você quiser pegar o peixe, tem que estar na água...
Para ser visto como um profissional respeitado, as pessoas têm que saber que você está atuando.
Também tenha muito cuidado em determinadas searas de atuação.

Algumas áreas precisam de cuidados redobrados

Um exemplo disso é o Direito de Família. A conciliação é muito mais difícil, pois envolvem sentimentos e mágoas, ou seja, vai muito além da questão patrimonial. Muitas vezes as pessoas não querem solucionar o caso: querem brigar, discutir e realizar acusações uns contra os outros. Mantenha-se o mais neutro possível e evite falar mal da outra parte. Não é seu trabalho. Seu trabalho é auxiliar o cliente com conhecimentos jurídicos.
Enfim, coloquem essas dicas em execução e seja um "resolvedor" de problemas! O profissional que estaciona, se acomoda e apenas direciona todos os conflitos para o poder judiciário se torna mais um dentro do mercado. É o famigerado "mais do mesmo". Já vimos isso mil vezes.

Um advogado empreendedor precisa apresentar soluções

O cliente tem que estar consciente que ele está pagando para aquele problema se extinguir. Isso é diferencial e tanto na Advocacia. Veja bem: Quantas vezes vocês já atenderam um cliente que já chegou no escritório desgastado?
Mude sua postura diante da clientela. Ofereça a segurança que ela tanto precisa.
É preciso ser um líder, propor mudanças, tornar possível o que parecia impossível.
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More