GUIA COMPLETO PARA VENDA OU COMPRA DE UM VEÍCULO USADO


Cedo ou tarde bate aquela necessidade ou vontade de trocar de carro, não é? Mas… Você ao menos tem ideia de quanto vale o seu usado?
Na tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) o valor real do seu veículo depende não só da referência de mercado, mas também de inúmeras variáveis que vão desde o estado de conservação do veículo até a sua documentação.
Neste post vamos dar algumas dicas para aumentar a liquidez do seu usado para não passar vexame em feirões de automóveis de fim de semana. Confira:


Revisão

Seja sincero

Apague os arranhões

Passo a passo para vender um carro usado


São muitos os fatores que podem nos levar a trocar o carro atual, seja por outro ou mesmo por um meio de transporte mais sustentável. Se você quer, mas ainda não sabe como vender um carro, esse passo a passo pode te ajudar a fazer as melhores escolhase conseguir um ótimo negócio.
Antes de tudo, você deve se certificar de que esse é mesmo o momento certo para vender seu veículo. Se ainda tem dúvidas, veja nesse post se é ou não o momento para isso. Depois de estar certo de que a hora é essa para vender seu carro, siga esses passos e boa sorte!
COMO VENDER UM CARRO 
E CONSEGUIR
 O MELHOR NEGÓCIO?
Muitas dúvidas podem  surgir na hora de colocar um bem tão valioso à venda. Antes mesmo de pensar nisso, devemos sempre manter o carro em boas condições, com revisões em dia, além de não deixar pequenos reparos se acumularem.
Com isso, além da nossa própria segurança enquanto ainda utilizamos o veículo, não será necessário gastar um dinheiro exorbitante para deixá-lo pronto quando decidirmos que está na hora de passá-lo adiante.

Entenda como funciona a venda de carro usado para particular


Quem é pessoa física e deseja vender o seu automóvel usado, pode seguir dois caminhos para concretizar esse desejo. O primeiro é ir até uma concessionária ou loja revenda para avaliar e vender o automóvel. O segundo é buscar um comprador também pessoa física.
Como você provavelmente já deve ter notado, a venda para concessionárias e revendedoras desvaloriza o preço do carro, uma vez que intermediadores são acionados e cada parte envolvida pretende lucrar com o negócio.
E a venda direta para pessoa física? Como ela acontece? Entenda agora como funciona a venda de carro usado diretamente para um comprador particular.

Não obrigação de fornecimento de garantias

A venda de carro usado a partir do proprietário, pessoa física, não obriga o repasse de garantias. Quando essa mesma venda é feita por um revendedor ou loja, pessoa jurídica, o consumidor tem por direito, garantido do Código de Defesa do Consumidor, 90 dias de garantia. As transações feitas entre pessoas físicas não são regidas pelo código do consumidor.

O preço do veículo deve ser atraente

O carro a ser vendido diretamente pela pessoa física pode não ter a vantagem da garantia que a loja fornece, porém o seu preço tende a ser bem mais competitivo. A ausência de intermediários entre o vendedor particular e o comprador consegue reduzir o preço em até 20% se compararmos com os valores praticados nas lojas.

A confiança entre as partes é indispensável

Quando uma pessoa física decide vender o seu carro ela está sujeita a todo os tipos de pessoas, inclusive aquelas mal intencionadas. Buscar uma referência do comprador para saber se é um bom pagador.

É preciso extrema clareza  

Quando o vendedor do carro usado conhece o comprador, e este é uma pessoa mais próxima, uma série de atritos pode surgir caso uma das partes esteja insatisfeita com o negócio. Seja pelo não pagamento em dia dos valores combinados ou pela expectativa frustrada pós-compra, a venda entre conhecidos pode gerar constrangimentos. Para evitar isso, seja absolutamente claro quanto às condições do veículos e quanto aos termos da negociação.

Alguns cuidados são cruciais na negociação

Confira o preço (com base na Tabela Fipe) e estabeleça um valor justo para o seu automóvel considerando também o histórico dele.
Resolva as pendências antes de vender. Esteja com todos os impostos e multas do veículo em dia. Se necessário, solicite ao Detran todas as pendências para quitá-las.
A manutenção do veículo deve estar em dia. Cumprindo o cronograma de revisões do seu automóvel e resolvendo todo e qualquer probleminha que ele tenha apresentado, liste todo o histórico de manutenção para apresentar ao comprador.
Você tomou a decisão de vender seu carro e está na dúvida do que fazer antes de se desfazer do seu bem: vale a pena gastar dinheiro antes de vendê-lo, seja com manutenção ou reforma? Essa é uma questão recorrente para quem vai vender um carro.
E a resposta é simples: sim, vale muito a pena reformar o carro antes da venda,seja para fazer uma manutenção ou pequenos reparos. Dessa forma, seu bem estará valorizado, e você mostrará que cuidou bem do veículo até aquele momento.
No momento de apresentar o carro ao interessado, seja um particular, uma concessionária ou uma revenda, o veículo terá um aspecto que não o desvalorizará tanto. Algumas concessionárias, por exemplo, costumam abater o valor da tabela da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), considerada padrão para o mercado automotivo, caso o veículo apresente avarias mecânicas ou estéticas.
Vender um carro reformado aumenta a chance de você conseguir um preço melhor. Por isso, é importante que todo dono de veículo mantenha seu bem sempre em boas condições. As manutenções devem ser regulares, se possível, seguindo o manual do proprietário em relação à quilometragem e itens a serem checados. Um carro com todas as revisões feitas vale mais. Além disso, não deixar acumular pequenas avarias, como amassados e riscos, evita um gasto excessivo no momento da venda do carro. Quer saber o que você deve reformar no seu carro antes de vendê-lo?
O QUE VALE REFORMAR ANTES DA VENDA DO CARRO?

Veja a seguir os itens que devem ser observados pelo proprietário:

– Riscos e amassados

O carro não é avaliado só pela quilometragem, mas também pelo aspecto visual. Se o veículo tiver avarias como essas, seu valor cairá e, dependendo da quantidade e intensidade, poderá nem ser aceito pelo interessado.

– Pintura

Tome cuidado com remendos. Se o estrago for grande, o retoque deve ser feito por profissional que use a tonalidade original, para não surgirem diferenças visuais, do contrário isso poderá desvalorizar — e muito — o valor do seu automóvel.

– Bancos

Veja se não há manchas nem cheiro impregnado. Se o dano não for grande, não se preocupe. Só mexa caso seja muito perceptível. Quando os bancos molham, por exemplo, o cheiro que fica costuma ser forte, incomodando quem viaja no automóvel.

– Tapetes

Se estiverem desgastados, vale a pena trocar. O valor é pequeno e pode custar mais se o desgaste for percebido na avaliação.

– Volante

Com o tempo e uso, ele tende a se desgastar. Se estiver com manchas ou descascado, vale a pena trocá-lo. Lembre-se, sempre, que a impressão de um item pode influenciar muito na hora da compra.

– Calotas

As calotas são peças que sofrem muito desgaste e avarias. Não leve o carro para avaliação sem conferir as quatro calotas. Veja se elas estão apresentáveis, sem danos. Caso apresentem riscos e amassados em excesso, não exite em trocar.
A parte mecânica de um veículo conta muito e é um dos itens que mais valorizam um carro. Revela o cuidado que o proprietário teve com o carro e permite que o comprador tenha uma certa garantia de que está comprando um bem que não lhe dará problema.Por isso, é importante seguir alguns itens.
Pastilhas de freios, pneus, molas e amortecedores são itens de segurança que devem ser verificados antes da avaliação. Além disso, lembre-se de conferir a data de validade e qualidade do item.
Não se esqueça, ainda, da troca de óleo e filtros. Você realizou todas as trocas programadas? Então não se preocupe. Você não terá problemas. Caso contrário, não deixe essa revisão passar em branco antes de oferecer o seu carro para a venda.
Para terminar, nunca use combustível adulterado, pois isso poderá comprometer a mecânica do carro silenciosamente, sem que você perceba. O problema vai surgir repentinamente e causar danos. E antes de levar o carro para a venda, cheque se há algum ruído estranho.
É necessário de atentar à transferência
da documentação
ATPV, CRV ou DUT. Cada um chama o documento de transferência do veículo de um jeito, mas ele é aquele documento que quando compramos o carro a concessionária pede que guardemos em casa. Esse documento deve ser assinado assim que receber o valor acordado, para iniciar assim o processo de venda.
Tire uma cópia autenticada desse documento para que você não seja responsabilizado por multas e outros problemas durante o período em que o comprador não transferir o veículo para o nome dele. Feito isso, alinhe com o Detran do seu Estado todos os demais passos e burocracias e siga tudo à risca, para evitar problemas futuros.

Carro novo ou usado? Qual escolher?

DECIDIDO A COMPRAR UM CARRO? 
JÁ SABE SE SERÁ 
NOVO OU USADO?
Essa é uma dúvida que assombra muitas pessoas e não há uma resposta certa que atenda a todos, pois dependerá do que você deseja e de quanto poderá gastar. Algumas dicas e detalhes podem ajudar nessa sua escolha e fazer toda a diferença na hora da compra. Confira!
COMO SE DECIDIR PELO NOVO OU USADO?
A primeira coisa que você precisa pensar é se você conseguirá ficar satisfeito com um carro que não tem aquele cheirinho de novo.Muitas pessoas sonham com isso e quando optam pelo usado não se satisfazem completamente. Se esse não for o seu carro, um usado poderá ser uma boa opção. Quando você compra um carro zero e quer equipá-lo, os valores pelo banco de couro e outras comodidades, por exemplo, são muito caros. O pior de tudo é que mal você dá a primeira voltinha com o seu novo quatro rodas, o valor do carro cai e dos acessórios mais ainda, pois a depreciação deles é maior. Muitas vezes, com um valor de um carro popular e sem acessório algum novo, você compra um carro usado equipado.
Ao mesmo tempo, quando você não tem o valor integral para pagar o veículo, pode ser que as condições de parcelamento de um carro novo sejam mais acessíveis e com juros menores. Nesse caso, é bom você calcular, pesquisar e ver o que cabe no seu orçamento. Uma boa dica para quem precisa parcelar e vai optar pelo carro usado, para conseguir um valor mais acessível e obter um carro mais completo, é ir aos feirões realizados pelas concessionárias. Uma das vantagens é que antes de elas comprarem o carro usado para revender para você, elas conferem toda a documentação e manutenção do veículo. Além disso, o carro passa por uma revisão e troca de peças, quando necessário, para que chegue em perfeito estado nas suas mãos. Outra vantagem é que normalmente nesses feirões as empresas têm parceria com os bancos e por isso, acabam conseguindo um parcelamento bom com juros mais baixos, facilitando a sua compra.
DICAS PARA COMPRAR O SEU CARRO USADO
Se você for optar pelo usado, é muito importante que tenha cuidado para não comprar um carro com dívidas ou com problemas. Veja algumas dicas para não errar nessa compra e fazer realmente um bom negócio:
·         Carros que já não são mais produzidos embora tenham um valor mais baixo têm peças de reposição mais caras. Cuidado com esses modelos;
·         Fique atento ao funcionamento do motor, pois cheiro forte ou barulho estranho podem indicar problemas. Não se esqueça de realizar o test drive e ficar atento;
·         A cor da fumaça também é importante já que a azulada indica queima de óleo no motor e a preta pode ser devido a desregulamento na hora de misturar ar e combustível, o que leva a ter que trocar as velas.
·         Não se esqueça de conferir os pneus e o estepe. Se eles estiverem muito gastos é porque o carro já rodou bastante, pelo menos 30 mil quilômetros. Já se eles estiverem gastos de maneira irregular pode ser entendido com um alerta para um problema de suspensão.
Gostou das dicas? Já sabe qual carro escolher? Confira algumas das ofertas que passou pelo maior feirão de usados do país.

5 cuidados antes de colocar a venda seu carro

O brasileiro é apaixonado por carros. Quem aí não conhece uma pessoa que cuida do seu veículo como se fosse um grande tesouro, limpando com cuidado, usando produtos caros e morrendo de ciúmes toda vez que alguém cogita dirigi-lo? Esse zelo, somado aos altos preços dos veículos zero quilômetro faz com que o valor de revenda dos seminovos seja bastante atrativo, rendendo bons negócios. Mas para conseguir isso, é preciso tomar certos cuidados antes de colocar o carro à venda. Quer descobrir quais são eles?Confira no texto a seguir:
VERIFIQUE SE SEUS DOCUMENTOS ESTÃO LEGÍVEIS
Muitos proprietários ficam sem olhar seus documentos, que ficam guardados na carteira ao longo do ano. Porém, eles podem sofrer danos, rasgos, serem molhados e ficarem ilegíveis. Se for o caso, você precisaprovidenciar uma segunda via no DETRAN e só então proceder com os trâmites da transferência.
REGULARIZE MULTAS, DPVAT E IPVA
Você não poderá efetuar a transferência do veículo se não estiver com todas suas obrigações em dia. Se existem multas pendentes ou IPVAs e DPVATs atrasados, será necessário que você arque com os custos e deixe tudo em dia, senão a documentação de transferência não poderá ser finalizada.
COMBINE OS VALORES E FORMAS DE PAGAMENTO
Outro cuidado ao vender um carro é certificar-se de ter a negociação combinada e acordada antes de dar início aos procedimentos de transferência. Por isso, cheque os dados para a transferência bancária, se for o caso. Apenas conclua a transação quando receber seu pagamento.
CUIDADO COM A TRANSFERÊNCIA DA DOCUMENTAÇÃO
Para concluir a transação, você precisa preencher completamente o Certificado de Registro do Veículo, o CRV, e colocar a data precisa da venda. É indispensável reconhecer firma da sua assinatura num cartório e jamais entregue esse documento em branco ao futuro comprador ou para despachantes. Evite a surpresa ao receber multas e débitos do futuro compradorporque a transferência não foi realizada corretamente. Todo cuidado é pouco.
TIRE UMA CÓPIA AUTENTICADA DE TODA DOCUMENTAÇÃO DO CARRO
Esse é outro procedimento que o proprietário deve ter antes de colocar seu carro à venda: não se esqueça de tirar uma cópia autenticada de toda a documentação da negociação. Esse cuidado é importante, pois, ao concluir a venda, é preciso entregar a cópias desses documentos ao DETRAN ou no CIRETRAN de sua cidade num prazo de 30 dias após a assinatura do documento no protocolo geral. Por lei, o novo dono terá 30 dias a partir da data de venda para efetuar a transferência e, se isso não for feito, o antigo dono pode solicitar o bloqueio de veículo. Isso vai protegê-lo de qualquer problema e evitar todo tipo de dor de cabeça que o novo dono poderia lhe causar.
Com esses cuidados você poderá efetuar a venda do seu veículo sem temer problemas com o novo proprietário. É preciso estar em dia com o DETRAN e tomar as atitudes necessárias para que tudo corra bem. Seja proativo e evite dores de cabeça.








Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More