PRINCÍPIO DA BOA-FÉ OBJETIVA

A boa-fé objetiva é, talvez, o princípio máximo orientador do CDC. Trata-se do dever imposto, a quem quer que tome parte na relação de consumo, de agir com lealdade e cooperação, abstendo-se de condutas que possam esvaziar as legítimas expectativas da outra parte. Daí decorrem os múltiplos deveres anexos, deveres de conduta que impõem às partes, ainda na ausência de previsão legal ou contratual, o dever de agir lealmente.
Artigos relacionados: art. 4º, inciso III e art. 51, inciso IV, do CDC.

EMENTA:

      
CIVIL E CONSUMIDOR. AÇÃO DE COBRANÇA. EMPRÉSTIMO CONSIGNADO EM FOLHA. SUSPENSÃO DOS DESCONTOS. ANUTENÇÃO DO DEVER DE PAGAMENTO. PRINCÍPIO DA BOA-FÉ OBJETIVA. SENTENÇA MANTIDA. 1. O princípio da boa-fé objetiva impõe às partes durante a execução dos contratos, uma atuação pautada nos deveres de honestidade, lealdade e informação, consoante estabelecem o artigo 422 do Código Civil e artigo 4º, inciso III, do CDC. 2. Suspensos os descontos na folha de pagamento, cabe ao devedor providenciar a regularização do contrato com o pagamento das parcelas vencidas. 3. Recurso não provido. (Acórdão n. 907278, 20120111976286APC, Relator: CRUZ MACEDO, Revisor: FERNANDO HABIBE, 4ª Turma Cível, Data de Julgamento: 18/11/2015, Publicado no DJE: 24/11/2015. Pág.: 231).

OUTROS PRECEDENTES:


Acórdão n. 898219, 20141010099115APC, Relatora: MARIA DE LOURDES ABREU, Revisora: ANA CANTARINO, 3ª Turma Cível, Data de Julgamento: 30/09/2015, Publicado no DJE: 08/10/2015. Pág.: 170.
Acórdão n. 868266, 20130111509884APC, Relator: ALFEU MACHADO, Revisora: FÁTIMA RAFAEL, 3ª Turma Cível, Data de Julgamento: 20/05/2015, Publicado no DJE: 22/05/2015. Pág.: 182.
Acórdão n. 857158, 20130910258689APC, Relatora: MARIA IVATÔNIA, 1ª Turma Cível, Data de Julgamento: 18/03/2015, Publicado no DJE: 27/03/2015. Pág.: 136.
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More