Preparo de Apelação


O preparo consiste no recolhimento das custas e do porte de remessa e retorno, quando devido. Além das custas de apelação, será exigido o recolhimento do porte de remessa e retorno ao TRF no preparo dos recursos cíveis originados no 1º grau da Justiça Federal, exceto os oriundos da Subseção Judiciária de Porto Alegre e nos recursos interpostos no e-Proc (art. 47 da Resolução 17/2010).

Nas ações cíveis em geral:
0,5% do valor da causa atualizado (Tab. I, "a" da Lei nº 9.289/96 e da Portaria nº 619/2012 do TRF4)


Valor mínimo de R$ 5,32
Valor máximo de R$ 957,69

Nos processos cautelares e procedimentos de jurisdição voluntária:
0,25% do valor da causa atualizado (Tab. I, "b" da Lei nº 9.289/96 e da Portaria nº 619/2012 do TRF4)


Valor mínimo de R$ 2,66
Valor máximo de R$ 478,85

Causas de valor inestimável:
(Tab. I, "c" da Lei nº 9.289/96 e da Portaria nº 619/2012 do TRF4)

R$ 5,32

Nos Embargos à Execução:
Os Embargos à Execução não estão sujeitos ao recolhimento de custas iniciais e de apelação. No caso de apelação, deverá ser efetuado o pagamento do porte de remessa e retorno dos autos, exceto para os feitos oriundos da Justiça Federal de Porto Alegre e nos recursos interpostos no e-Proc (art. 47 da Resolução 17/2010).

Nas ações da Justiça Estadual:
Nos casos de exercício de jurisdição federal delegada, o preparo (custas e porte de remessa e retorno)  dos recursos interpostos perante a Justiça Estadual fica sujeito ao regime da lei local (art. 1º, § 1º, da Lei nº 9.289/1996 e item 12 da Portaria 619/2012 do TRF4).
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More